2 de novembro de 2016

Diário Espiritual: 02 de Novembro (Simplicidade)

"Eu canto um hino jamais entoado por nenhuma outra voz. A Ti, Ó Espírito, eu não canto nenhuma ária intelectual, premeditada e disciplinada; somente a melodia espontânea do meu coração. A Ti não ofereço nenhuma flor de estufa, regada por emoções cuidadosas; somente as flores raras que crescem espontaneamente nos mais altos píncaros de minha alma."  (Paramahansa Yogananda, "Sussurros da Eternidade").